Topo

Manaus fica sem ônibus no quinto dia de greve dos rodoviários

2018-06-02T14:54:00

02/06/2018 14h54

A cidade de Manaus amanheceu sem ônibus neste sábado (2), quinto dia de greve dos rodoviários. Os veículos só começaram a circular por volta das 10h30. Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), 70% da frota está nas ruas, mesma quantidade que costuma circular nos finais de semana. Os representantes das empresas e dos trabalhadores se reuniram por mais de 5 horas ontem (1º), mas não chegaram a um acordo. Houve avanços nas negociações das cláusulas econômicas. Os trabalhadores queriam um reajuste salarial de 6,5% e as empresas ofereceram 5,5%. Segundo o advogado do Sinetram, Fernando Borges, dois pontos dificultam um acordo. "Eles estão exigindo que sejam anistiadas as multas e também exigem que não seja aplicada a reforma trabalhista. Eles têm que aceitar que houve mudança na legislação e que as empresas podem usar alguns dispositivos novos também", explicou o representante das empresas. De acordo com o advogado, a multa imposta aos sindicatos já chega a quase R$ 30 milhões referente a 80 horas de paralisação. O Tribunal Regional do Trabalho impôs uma multa de R$ 300 mil por hora de greve. Os sindicatos querem a revogação da multa para voltar ao trabalho. A categoria promete manter as paralisações e mobilizações nos próximos dias. "Não houve acordo ainda. Houve liberação da frota sem acordo. Não sabemos o que vai acontecer. A categoria não se pronunciou oficialmente. Vamos aguardar o pronunciamento das lideranças sindicais e só vamos negociar com o fim do movimento", afirmou o advogado Fernando Borges. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, esteve no Centro Integrado de Comando e Controle do estado e comemorou o fato de os ônibus estarem nas ruas neste sábado. "A notícia boa é que as frotas começaram a rodar agora. Nós esperamos que essa paz seja duradoura e que venha um acordo. Só não aceito aumento de tarifas. Esse é um compromisso meu", ressaltou o prefeito da cidade. Nove concessionárias operam o transporte coletivo em Manaus e transportam, em média, 750 mil passageiros. A reportagem tentou entrar em contato com os representantes dos trabalhadores, mas não obteve retorno.