Topo

Grupos anti-homofobia são retirados da Alesp após vaiarem Cunha

Hélvio Romero/Estadão Conteúdo
Integrantes levantaram faixas e cartazes assim que o peemedebista entrou no plenário Imagem: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

Em São Paulo

2015-03-27T10:25:00

27/03/2015 10h25

Manifestantes que vaiavam o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foram retirados da galeria do plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo durante sessão do programa Câmara Itinerante, nesta sexta-feira (27).

As vaias interromperam diversas vezes a fala de Cunha, que chamou os manifestantes de "intolerantes" e cobrou deles "educação". Ouviu de volta gritos de "machista" e "homofóbico".

A galeria do plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo foi esvaziada a pedido do presidente da Casa, Fernando Capez (PSDB), depois de um pedido do deputado Luiz Alfredo Machado (PSDB), que se disse constrangido com o comportamento dos manifestantes.

"É constrangedor para esta Casa receber o presidente da Câmara e não dar a ele o direito de falar".

Enquanto era vaiado pelos manifestantes, Cunha foi, mais de uma vez, aplaudido por parlamentares. Manifestantes levaram cartazes chamando Cunha de "corrupto", "homofóbico", além de se beijarem em protesto na galeria.

Mais Notícias