Topo

Ex-Sete Brasil diz na CPI que auditorias internas não apontaram desvios

De Brasília

2015-06-16T14:21:00

16/06/2015 14h21

O ex-presidente do Conselho Administrativo da Sete Brasil, Newton Carneiro da Cunha, disse na tarde desta terã-feira, 16, aos deputados da CPI da Petrobras que denúncias de corrupção só chegaram à empresa após as investigações da Operação Lava Jato. "A Sete Brasil também é vítima disso (corrupção)", afirmou a uma sessão esvaziada da comissão.

A exemplo do atual presidente da Sete, Luiz Eduardo Guimarães Carneiro, que já depôs na CPI, Cunha disse que foram contratadas auditorias e todos os contratos foram revisados com o objetivo de investigar supostas irregularidades logo que a investigação da Polícia Federal foi divulgada, em março do ano passado. "Nada nestes contratos foi achado, que tivessem desvios. Não tivemos conhecimento de desvios nos contratos", informou.

O ex-executivo lembrou que a empresa foi criada em 2011 para produzir sondas, algo que era inédito no Brasil. "Necessitávamos de uma empresa como essa", disse.

Mais Notícias