PUBLICIDADE
Topo

CPTM afirma que contrato 'não foi lesivo' ao Estado

Marcio Ribeiro/ Brazil Photo Press/ Estadão Conteúdo
Imagem: Marcio Ribeiro/ Brazil Photo Press/ Estadão Conteúdo

Em São Paulo

25/10/2016 07h38

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) afirmou, em nota, que o atual contrato de manutenção dos 48 trens espanhóis, no valor de R$ 220,2 milhões, "não foi lesivo aos cofres públicos" porque "o processo licitatório obteve desconto de 33% na proposta vencedora".

Segundo a estatal, o contrato assinado com o consórcio TMT corresponde a uma economia de R$ 111 milhões e tem valor até 44% menor do que os contratos anteriores para o mesmo serviço.

"Além disso, os itens considerados na recomendação do Ministério Público em nenhum momento imputam conduta irregular ou inadequada à CPTM ou a qualquer agente público.

A Companhia entende que não praticou qualquer ato irregular e prestou todos os esclarecimentos ao Ministério Público", afirma. A estatal disse que abriu investigação interna para apurar se houve fraude na licitação. A reportagem não conseguiu localizar as empresas do consórcio TMT.