Padilha diz que, pessoalmente, concorda com Renan sobre diálogo com Supremo

Brasília - O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha disse nesta terça-feira, 25, que pessoalmente concorda com "a posição firme" do presidente do Senado Renan Calheiros sobre a iniciativa de estabelecer um diálogo da Casa com o Supremo Tribunal Federal (STF). "Eu pessoalmente penso que o diálogo tem que ser estabelecido com a Suprema Corte, ele tem razão. É uma posição pessoal, não é posição do governo", disse, após participar de almoço com parlamentares ligados ao agronegócio.

Ontem, Renan acusou a Polícia Federal de ter se valido de "métodos fascistas" nunca adotados sequer na "ditadura" na operação da PF, que prendeu na sexta-feira, 21, quatro policiais legislativos da Casa, e anunciou que a Advocacia do Senado vai entrar no STF com uma ação para defender as prerrogativas de atuação da Polícia Legislativa.

Além disso, Renan chamou o ministro da Justiça, Alexandre Moraes, de "chefete de polícia" e ainda classificou de "juizeco" o juiz Vallisney de Souza Oliveira, responsável pela operação que decretou uma ordem contra o Senado.

Questionado se Moraes estaria ameaçado no cargo, Padilha disse que só quem poderia responder a essa pergunta é o presidente Michel Temer, mas minimizou a crise entre o presidente do Senado e o titular da Justiça.

"Quem nomeia e quem avalia desempenho de ministro é o presidente da república", disse. "Penso que o Alexandre e o Renan têm contribuído para o processo de desenvolvimento das ações entre executivo e legislativo neste momento. Esse episódio em poucos momentos será coisa do passado", afirmou. Segundo Padilha, os dois têm a consciência de que precisam cumprir seus deveres e essa "rusga" deve ser superada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos