FGV: governo tem base para aprovação de reformas, mas há risco com delações e TSE

São Paulo - O cientista político da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (EAESP/FGV) Marco Antônio Teixeira considerou que o governo tem apoio suficiente hoje no Congresso para aprovação das reformas da Previdência e trabalhista.

Ele disse, entretanto, que o cenário é de tensão porque três eventos ameaçam travar a pauta: a sucessão do comando na Câmara, as delações da Odebrecht e o julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE( das contas da chapa Dilma-Temer em 2014. "Há muitos temas ao mesmo tempo, mas, em números frios, o governo tem quórum atualmente para aprovar. Mas tudo depende dos fatores exógenos, principalmente o que pode vir das delações de Odebrecht, além do processo do TSE", afirmou.

O especialista ainda comentou que as recentes medidas anunciadas pelo governo em um tempo curto neste final de ano indicam uma corrida do presidente Michel Temer para tentar impedir uma redução ainda maior de seus índices de popularidade. O objetivo, segundo Teixeira, é mostrar que o governo está buscando sair da crise, principalmente depois do agravamento dos dados econômicos, e evitar o crescimento da desconfiança, que poderia resultar em perda de apoio político.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos