Pequena diferença de votos facilitou para Temer justificar escolha, diz Bauer

Isabela Bonfim e Thiago Faria

Brasília

O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC), afirmou que a pequena diferença de votos na eleição da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) facilitou para que o presidente Michel Temer justificasse sua escolha pela segunda colocada, a subprocuradora Raquel Dodge.

"O número de votos foi muito próximo. Ficou mais fácil para o presidente justificar sua escolha sem nenhum constrangimento e nenhuma dificuldade política ou institucional", defendeu o senador.

Raquel Dodge não venceu a disputa entre os procuradores. Com 621 votos, o subprocurador Nicolao Dino ficou em primeiro lugar na votação para a formação da lista tríplice para sucessão de Rodrigo Janot. Logo atrás, Raquel Dodge obteve 587 votos, seguida por Mario Bonsaglia, com 564 votos.

A tradição de formação da lista tríplice iniciou-se em 2001. Até agora, a lista tríplice para o cargo de Procurador-Geral da República só não foi acatada em sua primeira edição. A partir de 2003, o então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, passou a reconhecer e prestigiar a escolha dos procuradores da República para o cargo de chefe do órgão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos