PUBLICIDADE
Topo

Companhia estatal e governo dizem ser vítimas de cartel

31.mar.2010 - José Serra e Alberto Goldman durante evento em São Paulo - Danilo Verpa/Folha Imagem
31.mar.2010 - José Serra e Alberto Goldman durante evento em São Paulo Imagem: Danilo Verpa/Folha Imagem

B.R. e F.L

São Paulo

08/07/2017 12h02Atualizada em 08/07/2017 16h05

Por meio de nota, o governo do Estado de São Paulo e o Metrô afirmaram que "são vítimas dos crimes investigados pelo MP". "Por isso", de acordo com o texto, "colaboram analisando as cláusulas da proposta de delação em suas condições jurídicas, financeiras e técnicas, para que sua homologação garanta a proteção do interesse público".

O Metrô informou ainda ser "o maior interessado" em esclarecer o caso e destacou a saída de Sérgio Corrêa Brasil da empresa. Ele foi procurado por meio de seu advogado, Eduardo Reale, que não respondeu aos telefonemas do Estado.

A Camargo Corrêa disse que não se manifesta sobre processos em andamento. A Andrade Gutierrez não quis comentar o caso.

O senador José Serra (PSDB), ex-governador, e o também ex-governador Alberto Goldman (PSDB), procurado ontem à noite, não quiseram se manifestar. Gilmar Tavares não foi localizado.