Topo

Apesar de apoio, procuradores já admitem rever resolução

25.mai.2015 - Ed Ferreira/Folhapress
PGR diz que vai se pronunciar no "momento oportuno" sobre resolução Imagem: 25.mai.2015 - Ed Ferreira/Folhapress

Gilberto Amendola e Beatriz Bulla

Em São Paulo e Brasília

29/10/2017 08h10

A Resolução 181 do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) é defendida pelo presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), José Robalinho Cavalcanti. "A resolução não vai além do que já é previsto. Se a gente voltar atrás, operações como a Lava Jato correm sérios riscos".

O procurador, porém, admite a necessidade de revisão. "Não está claro no texto que as investigações tocadas pelo Ministério Público devem passar pelo crivo do Poder Judiciário", disse.

Robalinho não vê problema no fato de a resolução ter sido publicada no final da gestão Janot. "É natural que as coisas que estavam pendentes fossem discutidas e a pauta fosse limpa". 

A procuradora-geral Raquel Dodge, em nota, afirma que vai dar posicionamento oficial "no momento oportuno".

As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".