Padilha diz que Aloysio Nunes deve ser um dos ministros da cota pessoal de Temer

Carla Araújo e Idiana Tomazelli

Brasília

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, não quis rebater as declarações do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, de que teria sido mal interpretado ao considerar o PSDB fora do governo do presidente Michel Temer. Padilha salientou que o tucano deve permanecer no governo provavelmente na cota pessoal do presidente.

"Eu penso que o ministro Aloysio Nunes é uma das pessoas que mais respeito merece dentro do PSDB, nós devemos acolher as palavras dele como manifestação pessoal de alta respeitabilidade", disse na saída de cerimônia que marcou o fim da impressão do Diário Oficial da União (DOU). "Eu penso que o ministro Aloysio Nunes pode vir a ser um ministro na cota pessoal do presidente", completou.

Mais cedo, o tucano afirmara que as declarações de Padilha na véspera, que foram inclusive reafirmadas nesta quinta-feira, 30, haviam sido mal interpretadas e disse que o PSDB mantém o apoio ao presidente Michel Temer. "O PSDB não faz parte da base do governo, o PSDB apoia o governo, não rompeu com o governo. Participação do governo ou não é uma decisão do presidente", disse Aloysio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos