Temer elogia sua escolha de ministros e exalta 'coragem' em intervenção

Carla Araújo e Tânia Monteiro

Brasília

Prestes a fazer uma nova composição ministerial por conta da desincompatibilização eleitoral, o presidente Michel Temer disse nesta terça-feira, 27, que "acertou na mosca" na escolha de seus ministros. Durante cerimônia de entrega de medalha de mérito Oswaldo Cruz, Temer aproveitou para elogiar Ricardo Barros que deixará a pasta da Saúde até o início de abril. "Acho que o meu acerto maior foi na escolha do Ricardo", disse o presidente, ressaltando que o ministro "fez economia nos gastos supérfluos e inadequados na área de saúde".

No fim da cerimônia, Barros afirmou que pretende sair do ministério até o fim de março, que não deve fazer indicações para o seu sucessor e que acredita que Temer saberá escolher o seu substituto. "Entrego minha tarefa e espero que presidente tenha sabedoria para escolher outro nome", disse.

Temer, que apenas nos primeiros seis meses de governo perdeu seis de seus ministros, alguns por suspeitas de irregularidades, fez uma espécie de balanço das suas escolhas para a Esplanada, começou exaltando a equipe econômica, mas logo depois disse que também acertou na Educação e na Integração Nacional.

O presidente voltou a citar as obras de Transposição do Rio São Francisco, onde colocou "verbas suntuosas" para o projeto e também exaltou ações que considerou positivas na área do Meio Ambiente. Sem citar projetos polêmicos do setor, Temer disse que desmatamento da Amazônia caiu e que o governo está cuidando do recente caso de vazamento de minérios em Barcarena, no Pará.

Ao citar a intervenção na segurança do Rio, o presidente disse ainda que seu governo é pautado não apenas pela coragem, mas também pela ousadia. "Tivemos uma coragem constitucional ao fazer a intervenção parcial na área de segurança pública no Rio", destacou.

Homenagem

Ao todo, 33 pessoas foram condecoradas por Temer e pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. A medalha é entregue a pessoas que contribuíram para o desenvolvimento da área da saúde.

Entre os 33 agraciados estão os dois médicos do presidente: Roberto Kalil Filho, diretor da divisão de Cardiologia Clínica do Instituto do Coração (InCor), que foi o responsável pela colocação de stents no coração do presidente, e também o urologista Miguel Srougi, que operou o presidente em decorrência de problemas na uretra.

Entre os homenageados estão ainda o médico Drauzio Varella, o presidente do Conselho da Sociedade Israelita Brasileira Albert Einstein, Claudio Lottenberg; o secretário de Estado de Saúde de São Paulo, David Uip; e até o deputado federal, Darcísio Perondi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos