PUBLICIDADE
Topo

"A culpa não está selada", diz Ministro Marco Aurélio Mello do STF

17.abr.2018 - Ministro Marco Aurélio Mello durante audiência do Supremo Tribunal Federal (STF) - Renato Costa/Estadão Conteúdo
17.abr.2018 - Ministro Marco Aurélio Mello durante audiência do Supremo Tribunal Federal (STF) Imagem: Renato Costa/Estadão Conteúdo

Clarissa Oliveira, Especial para O Estado

São Paulo

08/07/2018 14h20Atualizada em 08/07/2018 16h26

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, reiterou sua posição contrária à execução da pena antes de esgotados todos os recursos, ao comentar a decisão do desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) Rogério Favreto de mandar soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ao Broadcast Político, Marco Aurélio disse que agora é preciso aguardar o desenrolar do caso, mas defendeu que "seja cumprida a Constituição".

"Enquanto a condenação não estiver preclusa e for passível de recurso, a culpa não está selada", disse Marco Aurélio. "Ele Lula ainda tem direito a recursos em tribunais superiores. E antes disso qualquer prisão é precoce", afirmou.