Após demissão da PF, Segovia irá atuar na Itália, diz Temer

SÃO PAULO, 28 FEV (ANSA) - Após ser demitido do cargo de diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segovia será adido especial na Itália, informou nesta quarta-feira (28) o presidente Michel Temer.   


Em entrevista à rádio Jovem Pan, Temer confirmou que o ex-diretor-geral da PF será transferido para Roma, na região central da Itália, e alegou que sua demissão foi apenas um "ajustamento".   


"Houve um ajustamento de modo que o Segovia irá para Roma, numa adidância especial na Itália - creio que em julho ou em agosto.   


Foi uma coisa ajustada. O ministro tem de ter sua equipe, daí a mudança do diretor da PF", disse Temer.   


O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, além de ter demitido Segovia, indicou para a direção-geral da PF Rogério Galloro, chefe da Secretaria Nacional de Segurança Pública.   


Segovia estava no cargo desde novembro, e sua demissão acontece em meio à repercussão de uma polêmica entrevista, na qual ele afirmou que o inquérito contra Temer por suposta corrupção poderia ser arquivado.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos