PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Perspectivas no Brasil são 'muito positivas', diz CEO da Ferrero

28/10/2021 17h45

SÃO PAULO, 28 OUT (ANSA) - Recém-chegado ao cargo de CEO da Ferrero para a América do Sul, o executivo Max de Simone afirmou nesta quinta-feira (28) que a empresa tem perspectivas "muito positivas" para o mercado brasileiro, que é o quinto maior do mundo no setor de chocolates.   


A declaração foi dada durante um fórum de investimentos organizado pelo grupo italiano em São Paulo (SP), ocasião em que a companhia apresentou seu 12º relatório de sustentabilidade.   


Dona de marcas como Nutella, Ferrero Rocher, Raffaello, Kinder e Tic Tac, a Ferrero vem de cinco anos com crescimento médio de quase 13% em volume, índice que foi de mais de 30% apenas em 2020.   


"Nossas perspectivas de longo prazo são muito positivas. O crescimento econômico no Brasil oscila, mas tende sempre a crescer, essa é a história dos últimos 30 anos. Acreditamos muito no país", declarou De Simone, que assumiu o comando da empresa na América do Sul em setembro passado.   


De acordo com o executivo, tudo que é ligado às marcas Kinder e Nutella vem mostrando um "desenvolvimento muito forte". Já as pastilhas Tic Tac apresentam estabilização, porém ligada ao uso de máscaras por causa da pandemia. "As pessoas estão consumindo menos produtos para o hálito", disse o CEO.   


Metas "verdes" - O relatório de sustentabilidade da Ferrero reafirma o compromisso de reduzir as emissões de carbono em 50% até 2030, na comparação com 2018, e cortar em 43% as emissões por tonelada de produto fabricado, também até o fim desta década.   


Ainda não há um prazo estipulado para atingir a neutralidade em carbono, mas De Simone afirmou que esse é o desejo de Giovanni Ferrero, presidente global da empresa italiana.   


De acordo com o relatório de sustentabilidade, a meta é que, até 2025, 100% das embalagens em âmbito global sejam reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis - hoje esse índice é de 82,9%.   


Além disso, todas as fábricas europeias e a unidade de Poços de Caldas (MG) operam com 100% de energia verde, sendo que a planta brasileira acaba de receber 3.225 células fotovoltaicas, fruto de um investimento de R$ 18 milhões.   


A fábrica em Minas Gerais também passou de 89% para 97% no índice de redução de resíduos, acima da média global da Ferrero, que é de 96,6%.   


Em relação às matérias-primas, 100% do cacau utilizado é de matriz sustentável desde o início de 2021 - a empresa tem certificados da Rainforest Alliance, da Fairtrade e da Cocoa Horizons -, bem como 100% do açúcar de cana.   


Antes disso, a Ferrero já havia alcançado índice de 100% na utilização de óleo de palma sustentável e rastreável. Já 95% dos ovos empregados pelo grupo são provenientes de galinhas criadas fora de gaiolas, mas o objetivo é alcançar 100% até 2025.   


De acordo com De Simone, é possível aliar essas metas ambientais com a necessidade de crescimento da companhia. "As duas coisas podem se desenvolver em paralelo, sabemos que muitos investimentos verdes efetivamente ajudam na eficiência do nosso sistema. Francamente, acreditamos que as duas coisas podem ser complementares", garantiu. (ANSA).   


Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.