PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
2 meses

Itália ultrapassa marca de 5 milhões de casos de Covid

Segundo ministério da Saúde, foram registrados 12.932 contágios em 24 horas, elevando total de infectados a 5.007.818 - LA7 PIAZZAPULITA
Segundo ministério da Saúde, foram registrados 12.932 contágios em 24 horas, elevando total de infectados a 5.007.818 Imagem: LA7 PIAZZAPULITA

28/11/2021 15h09

A Itália ultrapassou neste domingo (28) a marca de 5 milhões de casos confirmados de Covid-19. De acordo com boletim do Ministério da Saúde, foram registrados 12.932 contágios em 24 horas, elevando o total de infectados desde o início da pandemia para 5.007.818.

Pelo menos um desses casos, confirmado no sábado (27) em um italiano recém-chegado de Moçambique, foi causado pela variante Ômicron do novo coronavírus.

"A atual fase epidêmica não é simples. Essa nova variante é mais um desafio para todos os países do mundo", alertou neste domingo o ministro italiano da Saúde, Roberto Speranza.

A Itália é o 13º país no mundo a superar os 5 milhões de casos, entrando em uma lista que já inclui Estados Unidos (48,2 milhões), Índia (34,6 milhões), Brasil (22,1 milhões), Reino Unido (10,2 milhões), Rússia (9,4 milhões), Turquia (8,7 milhões), França (7,7 milhões), Irã (6,1 milhões), Alemanha (5,8 milhões), Argentina (5,3 milhões), Espanha (5,1 milhões) e Colômbia (5,1 milhões).

Ainda segundo o Ministério da Saúde, a Itália registrou mais 47 mortes e chegou a 133.674 óbitos por Covid-19.

Já a média móvel de casos em sete dias aumentou pela 26ª vez consecutiva e atingiu 11.737, alta de 60% na comparação com duas semanas atrás, enquanto a de mortes se manteve em 71, cifra 27% maior do que há 14 dias.

O país também soma quase 4,7 milhões de curados e 186.443 casos ativos, maior valor desde 7 de junho (188.453). Até o momento, mais de 84,4% do público-alvo (pessoas a partir de 12 anos) está totalmente vacinado, porém 6,6 milhões de indivíduos aptos a se imunizar não tomaram sequer a primeira dose.

O recrudescimento da pandemia já fez o governo de Mario Draghi antecipar para 1º de dezembro o início da dose de reforço da vacina para todos os adultos.

Além disso, entre 6 de dezembro e 15 de janeiro, pessoas que não tenham se vacinado nem se curado recentemente da Covid não poderão entrar em áreas cobertas de bares e restaurantes, casas noturnas, shows e eventos esportivos.

Devido à variante Ômicron, o governo também proibiu a entrada de viajantes que tenham transitado por África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Moçambique, Namíbia e Zimbábue nos 14 dias anteriores à chegada na Itália. (ANSA).