Topo

Morre mulher com mais títulos de nobreza do mundo

Duquesa de Alba durante casamento aos 85 anos, com funcionário de 61 anos na Espanha, apesar da oposição dos seis filhos - Jorge Guerrero/AFP/5.10.2011
Duquesa de Alba durante casamento aos 85 anos, com funcionário de 61 anos na Espanha, apesar da oposição dos seis filhos Imagem: Jorge Guerrero/AFP/5.10.2011

20/11/2014 10h55

Três casamentos, seis filhos, mais de 50 títulos de nobreza, domínio de cinco línguas, um patrimônio de bilhões de dólares e mais de 15 nomes. São os números que formam a figura de Cayetana, a duquesa de Alba, que morreu em Sevilha nesta quinta-feira, aos 88 anos.

Cayetana de Alba deu entrada no Hospital Sagrado Coração de Jesus, em Sevilha, no domingo passado, apresentando quadro de gastroenterite, doença respiratória causada por pneumonia e arritmia cardíaca.

A aristocrata espanhola não resistiu às complicações, depois de um ano cheio de doenças e internações hospitalares.

Na terça-feira, a duquesa havia sido transferida para a sua residência em Sevilha, o Palácio de Dueñas, a pedido dela e de sua família.

Ele morreu rodeada por filhos e o marido, Alfonso Díez.

Nascido no Palácio Líria, em Madri, em 28 de março de 1926, Cayetana - a XVIII Duquesa de Alba - era filha de Jacobo Fitz-James Stuart y Falcó, Duque de Alba e Berwick, e María del Rosario de Silva y Gurtabay, Marquesa de San Vicente del Barco.

Ela foi batizada na capela do Palácio Real em Madri, em 17 de abril de 1926, e apadrinhada pelo casal real Alfonso XIII e Victoria Eugenia.

Sua mãe contraiu tuberculose e, para evitar uma possível infecção, passava pouco tempo com a filha. Assim, Cayetana cultivou uma estreita relação com o pai, de quem herdou o gosto por cultura e arte.

Com a proclamação da Segunda República em Espanha, em 1931, Cayetana foi exilada com sua família na capital francesa, Paris; com a eclosão da Guerra Civil Espanhola, em 1936, a família mudou-se para Londres, Reino Unido, onde Cayetana conheceu, entre outros, o neto de Leo Tolstoy, Winston Churchill e Elizabeth II, antes que ela fosse rainha da Inglaterra.

Ela deixa seis filhos - Carlos Alfonso, Jacobo, Fernando, Cayetano e Eugenia - todos de seu primeiro casamento, com Luis Martínez de Irujo, um nobre e industrial de profissão, que morreu em 1972.

Seis anos depois, Cayetana se casou com o teólogo jesuíta e ex-padre Jesus Aguirre, de quem também ficou viúva em 2001.

O último casamento foi celebrado com Alfonso Díez, um funcionário público 24 anos mais novo do que ela, em 2011. Naquele mesmo ano, passou a seus filhos sua herança pessoal, da qual se beneficiou em usufruto até a morte.

A revista Forbes atribuiu a ela um patrimônio de US$ 3,5 bilhões, o que a convertia na terceira mulher mais rica da Espanha.

A duquesa de Alba tinha uma lista de nomes difícil de memorizar: María del Rosario Cayetana Paloma Alfonsa Victoria Eugenia Fernanda Teresa Francisca de Paula Lourdes Antonia Josefa Fausta Rita Castor Dorotea Santa Esperanza Fitz-James Stuart de Silva Falcó y Gurtubay.

Segundo Livro Guinness dos rcordes, era a pessoa com mais títulos nobiliários do mundo, mais de 50.

Mais Notícias