Polícia de Chicago é criticada após vídeo que mostra perseguição e morte de jovem negro

Manifestantes saíram às ruas nos Estados Unidos após a divulgação de um vídeo que mostra a ação policial que levou à morte de um jovem negro desarmado em Chicago.

Um painel independente classificou de "chocante" e "perturbadora" a ação, na qual uma longa sequência de tiros é disparada durante uma perseguição ao jovem Paul O'Neal, de 18 anos.

Segundo a polícia, O'Neal havia roubado um carro no dia 28 de julho. Ele tentou fugir mas foi morto pelas costas.

Novas regras requerem que a polícia de Chicago divulgue vídeos de operações que terminem em mortes dentro de até 60 dias.

A corporação está sob pressão desde uma série de incidentes que resultaram na morte de jovens negros pela polícia -- acendendo um debate sobre o uso da força pelos oficiais.

Porém, o momento em que o jovem é morto não foi filmado, pois a câmera no corpo do policial que atirou não estava ligada.

O porta-voz da polícia, Anthony Guglielmi, disse que o aparelho pode ter tido uma pane, ou o policial pode não conhecer como operá-lo.

"Não acreditamos que tenha havido má conduta intencional (ao não ligar a câmera)", disse Guglielmi.

Três policiais envolvidos no tiroteio foram suspensos por violar -- segundo uma análise inicial -- as diretrizes da corporação.

O advogado da família de O'Neal, Michael Oppenheimer, disse que os policiais estavam "fazendo justiça com as próprias mãos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos