A comovente história do idoso que se negou a abandonar cães para fugir de furacão

  • Rescate Animal/Facebook

    Eu morro com meus cachorros, disse Núñez

    Eu morro com meus cachorros, disse Núñez

António Núñez é um dos moradores que perderam suas casas após o rompimento de uma barragem durante a passagem do furacão Otto pela Costa Rica.

As chuvas, inundações e deslizamentos de terra causados pelo fenômeno atingiram diversas casas e deixaram três pessoas mortas no país, levando governo a declarar estado de emergência.

Quando foi obrigado a deixar a comunidade Estrada de Matina - considerada de alto risco pelas autoridades -, Núñez se recusou a deixar seus quatro cachorros de estimação para trás.

Ele foi resgatado por um jovem, que o levou para passar a noite na casa de um vizinho. O idoso só aceitou sair da região - considerada de alto risco - com uma condição: levar seus quatro cachorros com ele.

Três dos animais de estimação passam a noite com o dono, e o quarto ele encontrou na manhã seguinte, dentro da casa destruída pela água. Ele insistiu em não sair da região sem os bichos.

"Eu morro com os meus cachorros, não vou deixá-los sozinhos. Se os cachorros podem ir comigo, eu vou", contou ele ao jornal local La Nación.

"Agora, estou refugiado na casa de um jovem por aqui, onde os cachorros ficam no corredor. Para mim, é como se fossem meus filhos, não os deixarei abandonados."

Condenação de serial killer de gays põe polícia londrina e apps de paquera em xeque

Segundo a publicação, Núñez não tem filhos e vive de sua aposentadoria.

"Eu perdi tudo. Não sobrou roupa, não sobrou nada. Estou assim, na vontade de Deus e aguardando o que vem pela frente. As coisas se recuperam, a vida não", afirmou o idoso ao canal de televisão Teletica.

Núñez contou ainda que sua casa já havia sido atingida por uma enchente antes.

"Da última vez entrou água, mas não molhou muito. Pensei que ia acontecer a mesma coisa e fiquei confiante, até ficar rodeado de água e sem ter como sair."

A ONG Rescate Animal, que atua em defesa dos animais na Costa Rica, levou o idoso para uma casa segura, alugada por um período de três meses.

Ele também recebeu doações para mobiliar o local e alimentos para os cães.

"A história é incrível porque tudo se resolveu com algumas horas de trabalho e esforço de muitas pessoas", disse Marilis Riba, presidente da organização.

Em um vídeo publicado no site da ONG, uma das funcionárias da organização pergunta a Núñez como ele se sente na nova moradia.

"Maravilhosamente tranquilo. Obrigado por tudo", responde ele com um sorriso no rosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos