Nancy Reagan morre aos 94

Como conselheira da carreira política de Ronald Reagan, Nancy é tida como uma das primeiras-damas de maior influência na história dos EUA. Ela deixa em seu legado campanhas de combate ao narcotráfico e ao câncer de mama.

Nancy Reagan, ex-primeira-dama dos Estados Unidos, casada com o falecido presidente americano Ronald Reagan, morreu neste domingo (06/03) aos 94 anos em sua casa em Los Angeles, disse uma porta-voz.

"A causa da morte foi insuficiência cardíaca congestiva", disse a porta-voz da ex-primeira-dama, Joanne Drake. Nancy será enterrada ao lado de seu marido na Biblioteca Presidencial Ronald Reagan, em Simi Valley, na Califórnia.

O casal Reagan esteve na Casa Branca entre 1981 e 1989. Nancy ficou conhecida por ter sido uma das primeiras-damas de maior influência na história dos Estados Unidos.

Nascida em Nova York em 1921 e batizada como Anne Frances Robbins, Nancy se tornou atriz e chegou a namorar o astro do cinema Clark Gable antes de se casar com o também ator Ronald Reagan em 1952. O casal esteve casado por 52 anos - Ronald morreu em 2004 - e teve dois filhos, Patti e Ron.

Quando Ronald decidiu abandonar a carreira artística e entrar na política, Nancy trabalhou para polir a imagem do marido, assim como na coordenação das campanhas eleitorais e agindo como conselheira na carreia pública do então futuro presidente dos EUA.

Como primeira-dama, Nancy chegou a ser bastante criticada pela sua grande influência junto ao então presidente, mas, posteriormente, acabou por ser admirada por ter organizado uma grande campanha contra as drogas.

O governo Reagan realizou um grande investimento no combate ao narcotráfico. No dia a dia na Casa Branca, Nancy também participava das decisões, mas sempre restrita aos bastidores.

A comunidade política americana reagiu à morte da ex-primeira-dama:

"Nancy Reagan disse uma vez que nada poderia te preparar para viver na Casa Branca. Ela estava certa, é claro. Nós tivemos um bom começo, porque tivemos a sorte de nos beneficiar de seu grande exemplo, e de seus generosos e calorosos conselhos. Ela redefiniu o papel de primeira-dama quando esteve aqui [na Casa Branca]", escreveram o presidente dos EUA, Barack Obama, e a atual primeira-dama do país, Michelle, em comunicado.

"A senhora Reagan foi ferozmente leal ao seu marido, e essa devoção foi igualada apenas pela sua devoção ao nosso país. Sua influência na Casa Branca foi completa e duradoura. Durante seu tempo como primeira-dama e desde então, ela levantou a consciência sobre o abuso das drogas e câncer de mama. Laura e eu estamos gratos pela vida de Nancy Reagan, e enviamos nossas condolências à toda família Reagan", escreveu o ex-presidente George W. Bush.

"Com a morte de Nancy Reagan dizemos um adeus final aos dias de Ronald Reagan. Alguns subestimam a influência de uma primeira-dama, mas a partir de Martha [Washington], Abigail [Adams] e até Nancy e além, estas mulheres transformaram a política de alguma forma", afirmou o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney.

"Nancy Reagan será lembrada por sua profunda paixão por esta nação e pelo amor pelo seu marido, Ronald. A família Reagan está em nossas orações", disse o pré-candidato republicano à Casa Branca Ted Cruz.

"Nancy Reagan, a esposa de um verdadeiramente grande presidente, foi uma mulher incrível. Sua falta será sentida!", afirmou o também pré-candidato republicano Donald Trump.

PV/lusa/ap/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos