Líderes europeus comentam vitória de Trump

Representantes de instituições e países da União Europeia e da Otan parabenizam novo presidente americano, destacando importância da cooperação com os EUA. Holande fala em início de "período de incerteza$escape.getQuote().A vitória do republicano Donald Trump à presidência dos Estados Unidos surpreendeu o mundo nesta quarta-feira (09/11). O magnata americano foi eleito presidente numa disputa acirrada, que dividiu não só os americanos como a opinião de líderes mundiais. Veja como a comunidade internacional reagiu à conquista republicana: União Europeia O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, afirmou que as relações entre a União Europeia (UE) e os Estados Unidos serão mais difíceis sob a presidência de Trump. Schulz afirmou que o resultado da eleição "deve ser respeitado" e que o magnata conseguiu se tornar "o porta-estandarte dos medos e angústias de milhões de americanos". Federica Mogherini, chefe da diplomacia da UE, escreveu em sua conta no Twitter que "os laços entre a UE e os EUA são mais profundos do que qualquer mudança na política". "Nós continuaremos trabalhando juntos, redescobrindo a força da Europa", afirmou. Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, divulgou no Twitter uma carta destinada a Trump. Somente com uma cooperação estreita, União Europeia e Estados Unidos conseguirão continuar fazendo diferença ao lidar com desafios como o "Estado Islâmico" (EI) e as ameaças à soberania ucraniana, diz o texto. Otan O secretário geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse estar ansioso para trabalhar com Trump. "A liderança norte-americana é mais importante do que nunca. Uma Otan forte é boa para os Estados Unidos e é boa para a Europa", afirmou. Alemanha A chanceler federal alemã, Angela Merkel, afirmou que a Alemanha e os EUA estão unidos por valores como democracia, liberdade, respeito ao Estado de direito e dignidade humana. "Com base nesses valores, ofereço uma estreita cooperação com o futuro presidente dos Estados Unidos, Donald Trump", disse. Rússia O presidente russo, Vladimir Putin, parabenizou Trump pela vitória e disse que está aberto a uma cooperação bilateral entre as duas potências. Para ele, o diálogo será benéfico não apenas para Moscou e Washington, mas para toda a comunidade internacional. França O presidente francês, François Hollande, parabenizou Trump, mas disse que a eleição do republicano "abre um período de incerteza, que deve ser enfrentado com lucidez e clareza". "Certas posições adotadas por Trump devem ser confrontadas com os valores e interesses que compartilhamos com os EUA", afirmou. Hollande havia apoiado abertamente a candidata democrata, Hillary Clinton. Reino Unido Em nota, a primeira-ministra britânica, Theresa May, declarou estar ansiosa para trabalhar com Trump e continuar desenvolvendo a "relação especial" existente entre os dois países. O antecessor de May, David Cameron, manifestou-se contrário a Trump durante as primárias americanas. Hungria O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, que se mostrou favorável a Trump durante a campanha eleitoral americana, declarou: "Parabéns. Que ótima notícia. A democracia ainda está viva." Orbán, que construiu cercas na fronteira sul de seu país para barrar refugiados, disse em julho que as políticas migratórias de Trump faziam dele o melhor candidato para a Hungria e a Europa. NT/ap/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos