1920: Assalto que leva a execução de Sacco e Vanzetti

Assalto a uma fábrica de sapatos com duas vítimas fatais, a 15 de abril de 1920 em Massachusetts, EUA, levou à prisão dos anarquistas italianos Sacco e Vanzetti. Processo injusto culminou em execução dos imigrantes.Tanto o sapateiro Ferdinando "Nicola" Sacco como o vendedor ambulante Bartolomeo Vanzetti haviam emigrado da Itália para os Estados Unidos em 1908, e se engajavam politicamente, dizendo-se anarquistas. Sua prisão aconteceu numa época em que os sindicatos ganhavam cada vez mais força nos Estados Unidos, na batalha contra a exploração dos trabalhadores. Governo e opinião pública viam nisso uma tentativa de revolução comunista. Depois de sangrentos conflitos entre grupos de imigrantes russos, chegaram a ser enviadas tropas a Boston para controlar o que se suspeitava serem "os primeiros passos dos bolcheviques na conquista dos Estados Unidos". Dois rapazes de origem italiana acabaram sendo vítimas desse estado de ânimos. O assalto a uma fábrica de sapatos de Massachusetts, em 15 de abril de 1920, com a morte de dois homens, levou à prisão dos dois imigrantes italianos. Embora sempre tenham jurado inocência, em julho de 1921, os jurados os declararam culpados. A sentença de morte baseou-se apenas em provas circunstanciais, num processo muito questionável. As testemunhas da defesa nunca chegaram a ser ouvidas. A condenação à morte de Sacco e Vanzetti provocou uma onda de protestos e consternação em todo o mundo. Repercussão internacional Tudo indicava que os dois acusados haviam sido vítimas de um julgamento precipitado e privados de processo justo, devido a suas convicções políticas. A embaixada norte-americana em Paris recebeu ameaça de atentado, a representação em Havana teve que pedir reforço policial e uma bomba explodiu na casa do governador de Massachusetts. Os vários pedidos de revisão provocaram o adiamento da execução da sentença diversas vezes. Em carta ao governador do Estado, insistiram, em vão, em sua inocência . Não pediram por clemência, pois isso equivaleria a reconhecer a autoria do crime. Mas, com os recursos esgotados, no dia 23 de agosto de 1927 eles foram mortos na cadeira elétrica: Vanzetti contava 39 anos, Sacco, 36. O controvertido caso foi tema de filmes e livros. O jurista Edmund Morgan, da Universidade de Harvard, investigou o processo e o julgamento durante vários anos. Em 1948, chegou à conclusão de que foi cometido um erro judicial. Nas palavras de Morgan, Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti foram "vítimas de uma sociedade preconceituosa, chauvinista e perversa". Em 1977, o governador de Massachusetts, Michael Dukakis, assinou uma declaração na qual reconheceu a injustiça cometida pelo tribunal e reabilitou o nome dos dois italianos. Michael Kleff (rw)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos