Mnangagwa assume presidência do Zimbábue

Posse do antigo vice encerra os 37 anos de governo de Robert Mugabe, mas muitos zimbabuanos duvidam que liderança de Mnangagwa trará reais mudanças para o país.O ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa assumiu nesta sexta-feira (24/11) a presidência do Zimbábue perante milhares de pessoas no Estádio Nacional, em Harare, encerrando um período de 37 anos no poder do ex-presidente Robert Mugabe, que renunciou do cargo há poucos dias, depois de ter sido afastado.

Leia também: Zimbabué quer recuperar milhões desviados por Mugabe

O ex-vice de Mugabe, de 75 anos, prometeu obedecer a Constituição da ex-colônia britânica e proteger os direitos dos 16 milhões de zimbabuanos. Apesar do alívio com a mudança de poder, muitas pessoas no país duvidam da disposição de Mnangagwa de levar adiante as reformas necessárias e o combate à corrupção. Ele deverá enfrentar resistência de grande parte da população, que o acusa de participar ativamente na repressão levada a cabo pelo governo de seu antecessor.

Apelidado de "crocodilo" em razão de sua postura linha-dura, o novo chefe de Estado mantém estreitas relações com os militares, tendo chefiado o serviço secreto e o Ministério da Justiça. Na cerimônia de posse, os altos comandantes das forças de segurança do Estado juraram lealdade a Mnangagwa.

Ele era o chefe da segurança interna do país nos anos 1980, quando Mugabe enviou uma brigada militar treinada na Coreia do Norte para pôr fim a uma insurgência de grupos rebeldes que, segundo organizações de direitos humanos, resultou na morte de cerca de 20 mil civis. Mnangagwa nega qualquer envolvimento nas atrocidades.

Após ser removido da vice-presidência por Mugabe, que o acusara de traição, o ex-vice fugiu para a África do Sul no início do mês temendo por sua vida. Porém, depois de retornar ao país, Mnangagwa se reuniu com o ex-líder de 93 anos e, segundo o jornal zimbabuano The Herald, "assegurou que ele e a família vão se beneficiar das máximas condições de segurança e bem-estar".

De acordo com o jornal, Mugabe informou o sucessor que não iria estar presente na cerimônia de posse porque "precisa de tempo para descansar".

Em discurso após assumir a presidência, Mnangagwa teceu elogios a Mugabe, que chamou de "pai da nação". "Quero prestar uma homenagem a um dos pais da nação, o único ainda vivo, o camarada Robert Gabriel Mugabe", afirmou. "Aceitemos e reconheçamos sua imensa contribuição na construção da nação."

RC/lusa/rtr

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos