Bombardeios da coalizão contra EI na Síria já deixou 4.435 mortos

Beirute, 23 fev (EFE).- Pelo menos 4.435 pessoas morreram na Síria em 1 ano e cinco meses de bombardeios da coalizão internacional, liderada pelos EUA, contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou nesta terça-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Dessas vítimas mortais, pelo menos 366 eram civis, entre eles 92 menores de idade e 64 mulheres, que morreram pelos ataques aéreos nas províncias de Al Hasaka, Aleppo, Deir ez Zor, Al Raqqa e Idlib, todas nelas no norte da Síria.

O maior massacre de civis por um bombardeio da coalizão aconteceu entre 30 de abril e 1 de maio de 2015, quando pelo menos 64 pessoas perderam a vida em um ataque contra a cidade de Bir Mahali, ao sul do enclave curso-sírio de Kobani, na província setentrional de Aleppo.

O EI sofreu pelos bombardeios pelo menos 3.914 baixas, a maioria delas combatentes estrangeiros.

O EI não foi a única organização armada alvo dos bombardeios da aliança internacional, que também bombardeou a Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda, no oeste de Aleppo e o norte de Idlib.

Em consequência, pelo menos 136 membros da Frente al Nusra morreram nesses ataques aéreos, entre eles Mohsen Fadli, considerado por Washington como líder do grupo Khorasan, ligado à Al Qaeda.

Outro grupo armado cujos quartéis foram bombardeados é o radical Exército da Sunna, que perdeu dez homens em um ataque contra sua base no povo de Atme, em Idlib.

À apuração total de mortos se soma um guarda da jazida petroleira de Al Omar em Deir ez Zor, que morreu em um dos ataques aéreos, e um líder do EI, junto com sua esposa e seus quatro filhos menores de idade que morreram em um bombardeio na área de Dabiq, em Aleppo.

O Observatório anotou que os ataques da coalizão deixaram também centenas de feridos.

A ONG não descartou que o número de mortos seja superior devido ao sigilo mantido pelo EI e outras organizações na Síria sobre suas baixas.

O EI proclamou no final de junho de 2014 um califado na Síria e Iraque, onde conquistou amplas partes do território.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos