Assad confirmou a Putin que colaborará com o cessar-fogo

Moscou/Damasco, 24 fev (EFE).- O presidente sírio, Bashar al Assad, confirmou nesta quarta-feira a disposição de Damasco a participar do cessar-fogo estipulado pela Rússia e EUA, em uma conversa telefônica com o líder russo, Vladimir Putin.

"Assad confirmou a disposição do governo sírio em colaborar no estabelecimento do cessar-fogo" que deve começar no dia 27, afirmou o Kremlin em comunicado.

Os dois presidentes "discutiram sobre diferentes aspectos da crise síria para a implementação do acordo entre Rússia e EUA (como co-presidentes do Grupo internacional de apoio à Síria) para o cessar-fogo".

Assad "qualificou as propostas contidas no documento como um passo importante na direção uma regulação política", segundo a nota do Kremlin.

Ambos líderes "confirmaram, além disso, a importância de seguir combatendo sem descanso contra o Estado Islâmico, a Frente al Nusra e outros grupos terroristas incluídos como tais na lista do Conselho de Segurança da ONU".

Por sua vez, a presidência síria indicou desde Damasco, em comunicado, que Assad recebeu uma chamada de Putin na qual conversaram sobre "as perspectivas da crise síria à luz da aplicação do cessar-fogo".

Assad disse a Putin que seu governo está preparado para contribuir "à implementação da cessação das operações de combate" e ambos insistiram na importância de "continuar a luta contra o Estado Islâmico, a Frente al Nusra e outras organizações terroristas".

Pouco depois da conversa entre os dois líderes, o porta-voz de Putin, Dmitri Peskov, disse aos jornalistas que "Moscou e Damasco têm bastantes pontos de vista similares sobre o desenvolvimento e as perspectivas de conseguir uma regulação política, mas esses pontos de vista não são totalmente idênticos".

Peskov acrescentou que a interação entre Moscou e Washington em torno da crise síria elevou, sem dúvida, o nível de confiança entre ambas potências.

Putin e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegaram na segunda-feira a um acordo para uma cessação de hostilidades na Síria em uma conversa telefônica.

A trégua estipulada pela Rússia e EUA entre o regime de Damasco e a oposição exclui aos grupos jihadistas como o Estado Islâmico e Frente al Nusra, aos quais seguirá combatendo.

A Rússia anunciou ontem que entregou aos Estados Unidos os dados de contato para estabelecer uma linha direta de comunicações para o cessar-fogo, um dos pontos previstos no acordo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos