Aliança islâmica antiterrorista lutará contra extremismo e seu financiamento

Riad, 27 mar (EFE).- A recente aliança islâmica antiterrorista liderada pela Arábia Saudita lutará contra a radicalização em todas as formas, não apenas o grupo Estado Islâmico (EI), e perseguirá suas fontes de financiamento, anunciou neste domingo um representante saudita.

O assessor do ministro de Defesa saudita, coronel Ahmed Asiri, disse em entrevista coletiva após a reunião da aliança que a coalizão dará apoio a qualquer país membro "para libertá-lo das pragas que sofra", em referência ao terrorismo, e atuará por consenso e com respeito à soberania dos países.

Asiri acrescentou que a aliança trabalhará em coordenação com organizações internacionais e garantiu que não intervirá no território de nenhum país-membro, a não ser que haja um pedido do mesmo e que esteja de acordo com os convênios internacionais.

Segundo Asiri, "as resoluções (da aliança) não serão obrigatórias" para os países-membros e a coalizão "não terá uma força organizada sob seu comando".

O coronel acrescentou que a Arábia Saudita constituiu um Centro de Coordenação de Operações da coalizão islâmica para se organizar nos âmbitos de informação, ideologia, financiamento e militar.

O governo saudita anunciou em dezembro a criação desta ampla aliança islâmica antiterrorista, formada por 34 países árabes e muçulmanos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos