Pai mata filho no Japão porque criança "não estudava"

Tóquio, 23 ago (EFE).- Um homem foi detido no último fim de semana no Japão por esfaquear até a morte seu filho de 12 anos porque o adolescente "não estudava" para as provas da escola, informaram fontes da investigação nesta terça-feira.

O homem é Kengo Satake, um entregador de 48 anos, da cidade de Nagóia, e confessou o crime à polícia. Ele foi preso cerca de uma hora depois de esfaquear Ryota no peito com uma faca de cozinha no domingo passado. A mãe do menino estava trabalhando quando tudo aconteceu.

À Polícia, o homem explicou que estava preocupado porque o filho não estava estudando para as provas que o levariam a passar de ano e ser aceito em 2017 no mesmo colégio em que ele estudou quando era criança. No Japão, os resultados das provas da escola servem para os alunos mudarem de ano letivo e também para ingressarem em colégios de grande prestígio, sejam públicos ou privados.

O Japão é conhecido pela pressão que muitas famílias costumam exerce sobre os estudantes para obter os melhores resultados acadêmicos possíveis. O país conta com uma extensa rede de cursinhos preparatórios para a aprovação nos exames, feitos por 90% dos alunos do ensino médio. Estas convocações para a mudança de ciclo acadêmico ou para o acesso à universidade são popularmente conhecidas por lá como "Shiken jigoku" ("O inferno dos exames").

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos