ONU condena anulação do julgamento de envolvidos em massacre do Carandiru

Genebra, 30 set (EFE).- A ONU criticou nesta sexta-feira a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) de anular o julgamento de 74 policiais pelo massacre ocorrido em 1992 no complexo penitenciário do Carandiru, no qual mais de cem detentos foram mortos.

"Deploramos a decisão de uma corte no dia 27 de setembro de anular a condenação contra os 74 policiais militares envolvidos no massacre do Carandiru", disse Cécile Pouilly, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos.

"Ainda que o MP tenha anunciado que vai recorrer da decisão, a anulação da sentença do que é considerado um dos casos mais sérios de violações de direitos humanos no Brasil manda uma mensagem preocupante de impunidade", sustentou a porta-voz da seção de direitos humanos da ONU.

O Tribunal de Justiça de São Paulo anulou todo o processo que tinha culminado na condenação dos 74 acusados, com o argumento de que durante o julgamento não tinham sido determinadas responsabilidades individuais.

Diante dissp, a ONU pediu que as autoridades garantam que os culpados dos crimes sejam julgados e punidos.

"Também é preciso garantir o direito das vítimas e suas famílias que esperaram por justiça durante os últimos 24 anos", afirmou Pouilly.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos