Passageiros de avião líbio sequestrado retornam a Trípoli

De Trípoli (Líbia)

  • Darrin Zamit-Lupi/Reuters

    Desembarque de passageiros do avião sequestrado, após acordo com sequestradores

    Desembarque de passageiros do avião sequestrado, após acordo com sequestradores

Os cidadãos líbios que viajavam no avião que foi sequestrado e desviado na sexta-feira (23 para Malta retornaram neste sábado (24) ao aeroporto de Maitiga, em Trípoli, informou a agência oficial "WAL".

O avião da companhia Afriqiyah Airwais, com 117 pessoas a bordo , foi sequestrado por dois líbios que o desviaram a La Valletta, capital de Malta, onde após mais de três horas de negociações acabaram libertando as pessoas e se entregando às autoridades.
(não 118, como informado na sexta),

"Os viajantes chegaram a bordo de um avião da companhia aérea Afriqiyah Airwais e estão todos em bom estado de saúde", indicou a fonte.

O avião sequestrado, um Airbus A320, aterrissou no aeroporto internacional de La Valletta e permaneceu durante horas sobre a pista, enquanto os sequestradores estavam com os passageiros e negociavam com as autoridades.

O enviado especial da ONU para a Líbia, Martin Kobler, expressou através da rede social Twitter sua satisfação pelo resultado "pacífico" da operação de libertar os reféns e prestou homenagem às autoridades de Malta pelos esforços.

Já o chefe da direção geral de Cultura do governo de União Nacional líbio, Hassan Uanis, precisou que 25 passageiros do avião são artistas e escritores que viajavam desde a cidade de Sebha para participar de um fórum literário que começa neste sábado em Trípoli.

A bordo do avião viajavam 111 passageiros, entre eles 82 homens -- dois deles os sequestradores --, 28 mulheres e uma criança e além disso havia seis membros da tripulação, não sete como tinha sido anunciado em um primeiro momento.

Uma fonte local disse à Agência Efe que os sequestradores são originais da tribo de Al Tabuo, em Sebha (sul do país), e eram seguidores do ditador líbio Muammar Gadafi, morto em 2011.

A fonte, que esteve em contato permanente com um dos passageiros, relatou que um dos sequestradores é Moussa Shaha, que ondeou dentro do avião a bandeira verde líbia que existia na época do antigo regime.

O segundo sequestrador se chama Ahmed Ali e ambos são conhecidos por terem criado o partido político Al Fatih al Yadid (O novo conquistador), o nome que Gadafi deu ao mês de setembro, durante o qual deu um golpe de estado em 1969 para chegar ao poder.

A fonte acrescentou que os sequestradores pretendem divulgar os ideais do partido "tanto no interior como no exterior do país".

Já a imprensa trabalha com a tese de tese que os sequestradores pretendiam reivindicar a liberação de Saif al Islam, filho do ditador e condenado à morte pelo vínculo com a repressão que seguiu ao levantamento popular armado em fevereiro de 2011, que desembocou na queda do regime de Gadafi em outubro desse mesmo ano.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos