Repórter curda morre após explosão de bomba em Mossul

Mossul (Iraque), 25 fev (EFE).- Uma repórter da emissora curda "Rudaw" morreu neste sábado em Mossul, no norte do Iraque, após a explosão de uma bomba em uma rua da cidade enquanto cobria a ofensiva das tropas do governo do país.

Em comunicado divulgado pela emissora, a repórter Shifa Gardi, de 30 anos, foi classificada como "uma das jornalistas mais atrevidas da Rudaw" e "uma estrela midiática na região do Curdistão".

A jovem apresentava um programa sobre a batalha contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no norte do Iraque desde o lançamento da ofensiva para recuperar Mossul em outubro do ano passado. O cinegrafista que acompanhava a repórter, Yunis Mustafa, ficou ferido após a explosão.

As forças iraquianas estão desenvolvendo uma grande campanha para expulsar o EI de seu principal reduto no Iraque. No último domingo, as tropas iniciaram a terceira fase da operação, que visa libertar o oeste da cidade de Mossul.

Vários jornalistas iraquianos ficaram feridos nessa ofensiva, dois deles por uma bomba lançada por um drone do EI sobre as forças governamentais no leste de Mossul em janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos