Rússia suspende atividades de Testemunhas de Jeová por "extremismo"

Em Moscou

  • Ilya Naymushin/Reuters

    Batismo de testemunhas de Jeová, na Rússia

    Batismo de testemunhas de Jeová, na Rússia

O Ministério da Justiça russo suspendeu nesta quinta-feira (23) as atividades das Testemunhas de Jeová, acusando seus praticantes de extremismo, à espera de que a Suprema Corte decida em 5 de abril se proíbe definitivamente a prática dessa religião no país.

O Centro de Direção das Testemunhas de Jeová na Rússia, que dirige todas as filiais regionais e locais da comunidade religiosa, foi incluído na lista de organizações extremistas, afirma um comunicado do ministério.

O porta-voz das Testemunhas de Jeová na Rússia, Ivan Belenko, denunciou à Agência Efe que a decisão das autoridades russas privará do direito à liberdade ao culto os 175 mil seguidores que dessa comunidade no país.

Em todos os processos judiciais contra a organização, as autoridades a acusaram de armazenamento e difusão de literatura religiosa de caráter extremista.

"Todas as decisões judiciais contra nós se baseiam em uma única acusação: que alguns de nossos livros e discursos estão na lista de literatura extremista que existe neste país", explicou Belenko.

Belenko afirmou que as decisões de incluir algumas publicações na lista negra "foram tomadas com base em opiniões de falsos especialistas e sentenças judiciais ditadas às costas dos crentes". 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos