Procuradoria-Geral do Equador fecha acordo de leniência com Odebrecht

Em Quito

  • Carlos Garcia Rawlins/Reuters

O procurador-geral do Equador, Carlos Baca Mancheno, informou nesta sexta-feira (9) que o país fechou um acordo de leniência com a Odebrecht, o que facilitará as investigações sobre os supostos pagamentos de propina a funcionários públicos equatorianos por parte da construtora brasileira.

Em pronunciamento à imprensa no Aeroporto de Quito após chegar de viagem do Brasil, Baca Mancheno disse que nos últimos dias também conseguiu obter provas importantes sobre o caso, no qual certamente surgirão novos envolvidos.

A Procuradoria, após vários meses de trabalho, "assinou um acordo macro de cooperação com a Odebrecht e com os executivos e ex-executivos da empresa", afirmou.

Este acordo, acrescentou, possibilitará à Procuradoria equatoriana ter acesso a "todas as evidências" que permitam "levar à Justiça as pessoas que participaram deste esquema de corrupção transnacional".

"De nenhuma maneira e sob nenhuma circunstância este acordo assinado com a empresa concede imunidade a alguém. Ninguém ficará imune às ações judiciais e legais que a Procuradoria executar", destacou.

Segundo ele, conforme a normativa interna, o conteúdo do acordo será mantido fora dos expedientes judiciais, e em sigilo, com o único propósito de garantir que o processo e as investigações sejam bem-sucedidos.

"Iremos atrás de todas as pessoas que cometeram atos de corrupção e iremos a todos os lugares necessários para trazer os responsáveis perante à Justiça", disse o procurador-geral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos