China procura 118 desaparecidos após deslizamento que causou 15 mortos

Xangai (China), 25 jun (EFE).- Uma equipe formada por cerca de 3.000 resgatistas procura os possíveis sobreviventes do deslizamento que no sábado soterrou uma aldeia da província de Sichuan, no sudoeste da China, causando a morte de pelo menos 15 pessoas e 118 desaparecidos.

As autoridades locais publicaram hoje uma lista com os nomes das 118 pessoas que poderiam estar sob os escombros e pediu aos cidadãos que deem pistas que possam facilitar seu resgate, informou a agência oficial "Xinhua".

O fato aconteceu depois que a parte alta de uma montanha caiu sobre a aldeia de Xinmo, por volta das 6h (horário local, 19h de sexta-feira), por causa das intensas chuvas na região.

Segundo explicou o chefe dos resgatistas, Wang Minghui, no total foram encontrados os corpos de 15 pessoas. Os membros das equipes de resgate estão varrendo a região com detectores de vida e cachorros rastreadores, mas não têm encontrado novos sinais de sobreviventes.

"Não vamos desistir enquanto houver um pouco de chance", disse um resgatista.

No entanto, segundo especialistas em geologia que estão no local, a possibilidade de sobrevivência das pessoas soterradas é realmente pequena.

Pelo menos 62 casas foram soterradas, enquanto que dois quilômetros do leito de um rio e 1.600 metros de uma estrada ficaram sob as rochas.

Nesta época do ano são frequentes as chuvas torrenciais na China e é comum que aconteçam inundações, deslizamentos e novas catástrofes motivadas por fenômenos meteorológicos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos