Ministro da Defesa da Venezuela condena ataque de chavistas ao Parlamento

Caracas, 5 jul (EFE).- O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino, condenou nesta quarta-feira o ataque à Assembleia Nacional realizado por um grupo armado de simpatizantes do chavismo, que feriram deputados da oposição e cercaram a sede do Legislativo por mais de sete horas, impedindo a saída de quem estava no local.

"Condenamos a violência em qualquer das suas formas, independente de onde ela venha. Os fatos ocorridos hoje na Assembleia Nacional são inaceitáveis", escreveu Padrino no Twitter.

O ministro da Defesa elogiou o presidente do país, Nicolás Maduro, por ter condenado anteriormente a violência no Parlamento.

"Como estadista e líder político, ele repudiou de maneira imediata esses fatos de violência", disse Padrino sobre Maduro, que horas antes tinha ordenado uma investigação sobre o ocorrido.

Além disso, o ministro pediu que a oposição siga o exemplo do presidente e expresse também sua repulsa quando bases militares e centros de saúde, educação e de alimentação forem atacados.

Padrino acusou os opositores de terem cometidos "atos terroristas", utilizando menores de idade, durante a atual onda de protestos contra o governo.

A reação do ministro vem depois de os deputados da oposição terem responsabilizado o governo pelo ataque e acusado a Guarda Nacional Bolivariana, que deveria proteger a Assembleia Nacional, de ter facilitado o acesso dos manifestantes à sede do Legislativo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos