Polícia e manifestantes voltam a se enfrentar nas ruas de Hamburgo

Hamburgo, 7 jul (EFE).- A polícia de Hamburgo (Alemanha) voltou nesta sexta-feira a usar canhões de água para dispersar os manifestantes que queriam bloquear os acessos à cúpula do G20, após os distúrbios de ontem, quando 111 agentes ficaram feridos e 44 pessoas foram detidas.

A polícia emitiu hoje um comunicado com a última contagem dos de ontem, protagonizados por jovens encapuzados que realizaram uma manifestação convocada à tarde, batizada como "Welcome to Hell" ("Bem-vindo ao inferno", em inglês).

Hoje, grupos de ativistas tentaram bloquear os acessos onde será realizada a reunião entre as principais economias do mundo e as potências emergentes e, diante da impossibilidade de retirar as pessoas sentadas na calçada, a polícia recorreu novamente aos canhões de água para dispersá-los.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, que participaria de um evento com crianças em idade escolar sobre o G20, cancelou sua participação.

A polícia de Hamburgo também informou hoje que detectaram a presença de objetos sobre os trilhos em uma estação de trem, atrapalhando o tráfego ferroviário em determinados pontos.

No ato de ontem participavam cerca de 12 mil manifestantes, onde que as forças de segurança identificaram 2 mil deles, em sua maioria encapuzados, como membros de grupos violentos.

As autoridades alemãs disponibilizaram 19 mil policiais para preservar a ordem durante a cúpula.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos