PUBLICIDADE
Topo

Polícia mata homem que mantinha 2 mulheres reféns em banco nos EUA

07/07/2017 21h54

Atlanta (EUA), 7 jul (EFE).- A polícia matou nesta sexta-feira um ex-militar que manteve reféns duas funcionárias de um banco no subúrbio de Atlanta, no estado da Geórgia, nos Estados Unidos, afirmando que estava carregando uma mochila cheia de explosivos.

O homem invadiu na manhã desta sexta-feira uma agência do banco Wells Fargo em Marietta, perto de Atlanta, e disse às funcionárias que carregava bombas em sua mochila, explicou o chefe da polícia do condado de Cobb, Michael Register.

Após mais de três horas de negociações, as funcionárias conseguiram escapar. Um membro da equipe de elite da polícia disparou e matou o suspeito, segundo as autoridades.

A imprensa local afirmou que o homem se identificou como Brian Easley, de 33 anos. Durante o sequestro, ele chegou a ligar para uma das emissoras locais da região.

A polícia indicou que o homem fez "ameaças genéricas". No entanto, a possibilidade de ele realmente carregar uma mochila cheia de explosivos fez com que as autoridades temessem não só pelas reféns e pelo imóvel onde estavam, mas também com os arredores.

Tudo indica que a intenção do homem não era roubar o banco, mas sim se queixar contra o Exército, segundo a polícia.

Representantes da Wells Fargo lamentaram a situação e agradeceram pela atuação dos policiais, que evitaram mais mortes. No momento do sequestro, não havia clientes no interior da agência.

Em comunicado, o Departamento de Assuntos de Veteranos dos EUA informou que prestou apoio às autoridades locais durante a negociação. "Mas, infelizmente, acabou em tragédia".

Segundo a imprensa local, o sequestrador afirmou ter sido expulso na última semana de um hospital de veteranos e disse que não tinha onde viver.