ONU denuncia que Venezuela segue violando direito à manifestação

Genebra, 31 jul (EFE).- O Escritório do Alto Comissiriado das Nações Unidas para os Direitos Humanos denunciou a Venezuela nesta segunda-feira por "continuar violando" o direito à liberdade de reunião e por dispersar de forma "violenta" as manifestações.

Em uma nota enviada à Agência Efe, o organismo da ONU expressou a sua preocupação pelo fato de "as autoridades venezuelanas continuarem violando o direito de reunião pacífica ao dispersar de forma violenta as manifestações".

O Escritório do Alto Comissariado da ONU instou as autoridades venezuelanas "a cessar o uso excessivo da força para reprimir manifestações", e reiterou a necessidade de que se respeite o princípio da liberdade de reunião pacífica.

Além disso, pediu a todas as partes que não façam uso da violência para expressar suas opiniões e posicionamentos políticos.

A Venezuela realizou ontem eleições para escolher a Assembleia Constituinte que modificará a Carta Magna de 1999 e que contaram com a rejeição da oposição, que decidiu não apresentar-se por considerá-las fraudulentas.

Neste contexto, durante o final de semana aconteceram novos graves distúrbios que se saldaram com a morte de uma dezena de pessoas.

O Escritório do Alto Comissariado "lamentou" a morte destas pessoas e pediu às autoridades que as investiguem de forma independente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos