Ameaçada, academia com aula para muçulmanas na Holanda contrata segurança

Haia, 25 out (EFE). - Uma escola de natação na Holanda se viu obrigada a contratar segurança extra depois que o político de extrema direita Geert Wilders disse nas redes sociais que o local oferece aulas para mulheres muçulmanas.

"Devemos tudo isto a Geert Wilders", lamentou o gerente da Dol-fijn, Richard Ritmeester, em declarações ao jornal "AD".

O centro esportivo, que fica na cidade de Maassluis, contratou um guarda para vigiar a piscina durante à noite até que a situação se acalme.

No último dia 22, o político publicou no Twitter duas propagandas da academia, que oferece aulas de natação para "mulheres imigrantes" em uma "área restrita".

"Sharia (lei islâmica) nadando na Holanda", escreveu Wilders na postagem.

Depois disso, a direção do estabelecimento decidiu modificar a publicidade, ao considerar que podia "criar confusão", e afirmou que se trata de uma turma exclusiva para mulheres e destinada a pessoas de "todas as nacionalidades".

O anúncio acrescenta que durante as férias escolares, no Ramadã e nos feriados nacionais não haverá aula.

Longe do fim da polêmica, a modificação atraiu ainda mais atenção e o espaço começou a receber ameaças.

"A situação é bastante tensa. É o único que posso confirmar", disse o gerente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos