PUBLICIDADE
Topo

Polícia confunde vítima com assaltante e mata 2 pessoas nas Filipinas

29/12/2017 09h40

(Atualiza com reação do governo e novas declarações).

Manila, 29 dez (EFE).- A Polícia das Filipinas matou duas pessoas e feriu outras duas ao confundir o veículo que era usado para levar a vítima de um ataque a tiros ao hospital com carro dos assaltantes, caso que gerou grande polêmica no país.

Harry Roque, porta-voz da presidência, anunciou que uma investigação completa será feita, já que a suspeita é de houve "uso excessivo da força" por parte da Polícia.

O caso ocorreu ontem à noite. Conforme imagens divulgadas hoje pelo canal local "GMA", os agentes dispararam dezenas de vezes, de forma indiscriminada, contra uma caminhonete branca numa rua do município de Mandaluyong.

De acordo com o chefe da Polícia de Mandaluyong, Moises Villaceran, os agentes abriram fogo por acreditar que o carro que levava a vítima era o usado pelos crimonosos para fugir. No entanto, os ocupantes não eram os assaltantes da mulher, chamada Jonalyn Ambaon, mas pessoas comuns que estavam levando a vítima para o hospital.

Os tiros mataram a própria Jonalyn Ambaon e um homem que estava no carro e morreu no hospital. Outros dois passageiros ficaram feridos, um deles em estado grave.

Segundo o chefe da Polícia, um dos guardas do bairro deu uma informação errada aos policias ao dizer que os assaltantes da mulher estavam fugindo no carro branco. As autoridades já abriram uma investigação, e dez agentes envolvidos no caso estão detidos.

O próprio diretor de Polícia Nacional da Capital, Oscar Albayalde, declarou em coletiva de imprensa que não podia culpar os agentes por acharem que os homens armados estavam dentro do veículo alvejado.

O crime provocou uma enorme polêmica na imprensa e nas redes sociais das Filipinas, onde os policiais são muito criticados por atirar com facilidade.

Este foi um assunto especialmente polêmico desde a chegada do presidente Rodrigo Duterte ao poder, em maio do ano passado. Em várias ocasiões ele pediu para a Polícia atirar para matar assaltantes e traficantes.