EUA irão investigar financiamento e narcoterrorismo do Hezbollah

Washington, 11 jan (EFE).- O procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, anunciou nesta quinta-feira a criação de uma equipe especializada em terrorismo, tráfico internacional de drogas, crime organizado e lavagem de dinheiro que investigará a milícia xiita libanesa Hezbollah.

A chamada Equipe de Financiamento e Narcoterrorismo do Hezbollah (HFNT, por sua sigla em inglês), terá a tarefa de "investigar as pessoas e redes que dão apoio" a esse grupo libanês que Washington mantém em sua lista de organizações terroristas, e levar perante os tribunais os culpados.

"O HFNT começará avaliando as provas das investigações existentes, incluídos os casos derivados do Projeto Cassandra, uma investigação policial que aponta para o tráfico de drogas do Hezbollah", afirmou o Departamento de Justiça em um comunicado.

Em dezembro, Sessions confirmou que revisaria o chamado Projeto Cassandra, algumas investigações contra o Hezbollah por tráfico de cocaína que, segundo o jornal "Politico", o Governo de Barack Obama freou para não influenciar nas negociações nucleares com o Irã.

Essas investigações eram lideradas pela Administração para o Controle de Drogas (DEA, por sua siglas em inglês).

Segundo o Departamento de Justiça, o HFNT será liderado pelo procurador-geral adjunto interino da Divisão Criminal, John P. Cronan, e será coordenada com o DEA, o FBI e o Departamento de Segurança Nacional.

"A investigação e o julgamento das organizações terroristas que contribuem para a crescente crise das drogas são uma prioridade para este Governo", disse Cronan em comunicado.

O Departamento de Justiça considera que a revisão do projeto Cassandra tem como objetivo "avaliar as acusações que certas questões não foram adequadamente perseguidas e para assegurar que todas as questões sejam tratadas adequadamente".

Em seu anúncio de dezembro, Sessions disse que acreditava que o anterior Governo de Obama "não impôs barreiras para permitir aos agentes do DEA que levassem adiante o Projeto Cassandra".

O HFNT "utilizará todas as ferramentas apropriadas para investigar e processar agressivamente os que prestam apoio financeiro ao Hezbollah em um esforço por erradicar as redes ilícitas que alimentam o terrorismo e a crise das drogas", acrescentou.

O Irã assinou em 2015 um pacto com seis potências, entre elas os EUA, no qual se comprometeu a limitar sua capacidade atômica e permitir a supervisão de seu programa nuclear em troca da suspensão de sanções internacionais contra o país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos