Haiti homenageia vítimas do forte terremoto de 2010

Porto Príncipe, 12 jan (EFE).- As autoridades do Haiti homenagearam nesta sexta-feira as vítimas do terremoto que há oito anos devastou parte do país, onde 300 mil pessoas morreram e 1,5 milhão ficaram sem lar.

O presidente do país, Jovenel Moise, acompanhado de sua esposa, Martine Etienne Joseph; e do primeiro-ministro, Jack Guy Lafontant, prestaram homenagem às vítimas em uma cerimônia no cemitério St. Christophe, ao norte de Porto Príncipe, onde foram sepultados os falecidos e foi construído um monumento em sua memória.

Moise depositou uma coroa de flores diante do monumento a St Christophe na presença do presidente do Senado, Joseph Lambert, e do da Câmara dos Deputados, Honorable Gary Bodeau.

"É um dever lembrar os nossos irmãos e irmãs que se foram, a maioria prematuramente", disse Moise.

Ao mesmo tempo, o presidente disse que "é uma obrigação do povo haitiano não repetir os erros do passado, especialmente em termos de construção da nossa infraestrutura", uma das principais causas de morte durante o desastre de 2010.

"É preciso refletir e fazer as coisas melhor do que no passado", apontou o presidente do Haiti, o país mais pobre da América e muito vulnerável aos desastres naturais.

Durante as cerimônias, em um ato simbólico, Moise depositou a pedra fundamental para a construção do novo Palácio Presidencial, já que o anterior foi destruído pelo terremoto.

Em 12 de janeiro de 2010, um devastador terremoto de magnitude 7 sacudiu o Haiti, seguido de três réplicas de magnitude 5, que causou mais de 300 mil mortes, similar número de feridos, cerca de 1,5 milhão de afetados e a quase total destruição da sua capital, Porto Príncipe.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos