Polícia indiana detém "o terrorista mais procurado" do país

Nova Délhi, 22 jan (EFE).- A polícia indiana anunciou nesta segunda-feira a detenção em Nova Délhi de Abdul Subhan Qureshi, "o terrorista mais procurado da Índia" e suposto cérebro dos atentados cometidos em 2008 no estado de Gujarate, que deixaram 49 mortos e 145 feridos.

"Detivemos o terrorista mais procurado da Índia, Abdul Subhan Qureshi, que é também o cofundador do (grupo terrorista) Indian Muyahidin", afirmou o subdelegado da polícia da capital, Pramod Kushwaha, em entrevista coletiva em Nova Délhi.

Qureshi foi detido na noite do sábado passado após uma "breve troca de tiros" na área de Ghazipur, nos arredores da capital indiana, onde iria se encontrar com um colaborador, afirmou Kushwaha.

Segundo o subdelegado, Qureshi é o "cérebro" por trás das 23 explosões que em 2008 mataram 49 pessoas em Gujarate e estava tentando "reviver" o Indian Muyahidin (IM), nova denominação do proscrito Movimento Islâmico de Estudantes da Índia (SIMI).

O foragido tinha fugido ao Nepal, onde vivia com documentação falsa há anos, depois de ter mudado de residência de maneira repetida dentro do território indiano, detalhou Kushawaha.

A polícia indiana vincula Qureshi com a série de explosões em Gujarate em julho de 2008 e com os ataques em Nova Délhi dois meses depois, que deixaram na capital 24 mortos e 55 feridos após cinco explosões em três de suas áreas comerciais mais movimentadas.

O IM é um grupo islamita que reivindicou também outros atentados ocorridos na Índia na última década, embora os especialistas não estejam ainda de acordo com precisão sobre sua natureza, composição ou objetivos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos