ONG Plan International reconhece 6 casos de abusos cometidos por pessoal

Haia, 22 fev (EFE).- A ONG Plan International, centrada especialmente nos direitos das meninas, reconheceu nesta quinta-feira seis casos de abusos sexuais contra menores cometidos por seus funcionários e voluntários entre 2016 e 2017 e garantiu que os envolvidos foram "demitidos imediatamente", segundo a sua diretora na Holanda, Monique van Hek.

Em carta enviada aos doadores desta ONG, a diretora explicou que um funcionário e outros cinco voluntários e trabalhadores de organizações associadas abusaram sexualmente de crianças nas suas missões, que não foram especificadas.

Os casos ocorreram entre julho de 2016 e junho de 2017 e os seis foram demitidos, porque a ONG os considerou culpados de um "crime", segundo a carta.

Além dos abusos sexuais, foram registrados outros nove casos de assédio sexual ou "comportamento inadequado" durante o mesmo período, o que acarretou outras sete demissões.

Van Hek assegura que foi informada dos fatos pelo escritório central, que fica no Reino Unido, e reiterou que desconhece onde ocorreram os abusos e que funcionários estão envolvidos neles.

Esta ONG tem mais de 10 mil funcionários e milhares de voluntários que trabalham em 75 países para a proteção dos direitos das crianças.

No seu último relatório esta ONG denunciou que mais de 150 milhões de meninas sofrem violência física e sexual no mundo todo, tanto no âmbito privado como em colégios ou na rua.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos