Trump: "Uma escola sem armas é um ímã para pessoas más"

Washington, 22 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira que vai analisar a possibilidade de armar alguns professores, já que "uma escola 'livre de armas' é um ímã para pessoas más" e defendeu que tomará medidas para restringir o acesso às armas de fogo.

"Vou analisar a possibilidade de dar armas escondidas para armar professores aptos com experiência militar ou especial de formação", disse Trump no Twitter.

Ele situou o número de profissionais com esta formação em 20% e acrescentou que desta maneira eles poderiam atirar se um "psicopata selvagem" chegasse a uma escola com "más intenções".

"Uma escola sem armas é um ímã para pessoas más. OS ATAQUES ACABARIAM! ", enfatizou.

Trump insistiu assim na controversa sugestão feita ontem ao receber na Casa Branca um grupo de pessoas afetadas por ataques em escolas nos Estados Unidos, entre elas seis estudantes do instituto da Flórida, onde há uma semana 17 pessoas morreram num ataque armado.

Minutos depois, em outra mensagem, ele anunciou que impulsionaria a Revisão Integral de Antecedentes com ênfase em saúde mental, aumentaria a idade mínima de acesso a armas para os 21 anos e proibiria a venda de dispositivos que transformam rifles em armas automáticas.

"O Congresso está no momento adequado para finalmente fazer alguma coisa sobre esta questão. Espero!", afirmou.

Conforme a lei americana, a idade mínima para comprar pistola é 21 anos e para adquirir uma espingarda é preciso ter pelo menos 18, mas alguns vendedores sem licença podem fornecer as armas a pessoas ainda mais jovens.

O autor confesso do ataque na Flórida, Nikolas Cruz, tinha 19 anos e promoveu o massacre com uma arma adquirida legalmente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos