Presidente da Nigéria reconhece que meninas desaparecidas foram sequestradas

Abuja, 26 fev (EFE).- O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, confirmou nesta segunda-feira que as 110 meninas desaparecidas após um ataque da organização jihadista Boko Haram a uma escola feminina no noroeste do país foram "sequestradas", e prometeu que as mesmas serão resgatadas, informam meios locais.

Os terroristas atacaram esta escola secundária situada na localidade de Dapchi, no estado de Yobe, o que provocou a fuga de centenas de alunas e docentes.

Depois que circularam notícias de que muitas das meninas estavam em paradeiro desconhecido e dispararam os temores de que os jihadistas teriam voltado a sequestrar numerosas meninas após o rapto de 200 estudantes em outro colégio, em Chibok, no estado vizinho de Borno, há quatro anos, das quais 112 ainda permanecem em cativeiro.

Em um encontro com um grupo de antigos reféns do Boko Haram na capital, Abuja, Buhari disse: "Pedi às agências de segurança que garantam que todas as pessoas sequestradas, inclusive as meninas de Dapchi, sejam libertadas de forma segura".

O ministro de Informação, Lai Mohammed, tinha confirmado ontem que 110 das 906 estudantes matriculadas no colégio continuavam desaparecidas após o ataque, mas não confirmou que se tratava de um sequestro.

A Nigéria viu o número de ataques suicidas aumentar nos últimos meses, apesar de os terroristas terem perdido presença em alguns de seus territórios após operações exitosas feitas pelas forças de segurança.

Em represália, os jihadistas adaptaram seus ataques a locais considerados como pontos fracos, como lugares de oração, escolas e acampamentos de refugiados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos