Turquia rejeita qualquer relação com acidente envolvendo caça grego

Istambul, 12 abr (EFE).- A força aérea da Turquia rejeitou qualquer relação com o acidente do caça grego que caiu nesta quinta-feira no Mar Egeu, o que causou a morte do piloto, informou a agência turca "Anadolu".

Segundo fontes do comando da força aérea citados pela agência, nenhum caça turco estava na região em que aconteceu o acidente.

A aeronave grega, um Mirage 2000-5, caiu no mar por volta das 9h15 GMT (6h15 em Brasília) perto da ilha de Skyros, no arquipélago das Espórades, a cerca de 150 quilômetros do litoral turco.

As primeiras informações indicavam que o caça voltava de uma missão para interceptar aviões turcos que tinham entrado no espaço aéreo grego sobre o Mar Egeu.

Mas a imprensa grega detalhou que a operação não chegou a acontecer pois as caças turcos já tinham deixado o espaço aéreo quando os aviões gregos chegaram ao local.

Nos últimos meses, a tensão entre Grécia e Turquia aumentou por causa de manobras agressivas das forças navais de ambos os países em torno das ilhotas disputadas de Imia (grego)/Kardak (turco), perto do litoral turco.

A isso se soma a detenção na Turquia há um mês e meio de dois militares gregos por entrarem em território turco, o que levou Atenas a aumentar a vigilância das unidades fronteiriças com um reforço de 7 mil soldados, além de multiplicar as manobras militares.

A tensão entre os dois países, que pôs fim a um período de 17 anos de relativa calma nas relações bilaterais, ressurgiu em janeiro de 2017, depois que o Supremo Tribunal da Grécia rejeitou extraditar oito militares turcos acusados de participação na tentativa fracassada de golpe de Estado em 2016 na Turquia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos