Topo

México detém suposto responsável pelo desaparecimento de 43 estudantes

Yuri Cortez/AFP
Manifestação em 2015 lembrou o desaparecimento dos estudantes Imagem: Yuri Cortez/AFP

Cidade do México

27/05/2018 15h57

As autoridades do México detiveram no sul do país um ex-policial municipal de Iguala que é apontado como um dos supostos responsáveis pelo desaparecimento dos 43 estudantes da escola rural de Ayotzinapa em 2014.

O secretário de governo, Alfonso Navarrete, disse neste domingo em entrevista coletiva que a detenção aconteceu no estado de Guerrero.

O sujeito, identificado apenas como Alejandro "N", é alvo de uma "uma ordem de apreensão vigente pelos delitos de associação com crime organizado e sequestro".

O ex-policial é "provável responsável dos fatos ocorridos em setembro de 2014", acrescentou o secretário.

Durante a detenção, que aconteceu no marco de uma operação chamada "Escudo Titã", "não foi necessário realizar um só disparo", segundo Navarrete.

De acordo com a versão oficial, na noite de 26 de setembro de 2014 os 43 estudantes foram detidos por policiais corruptos e entregues a membros de um grupo criminoso, que os assassinaram e jogaram seus corpos incinerados em um lixão.

No entanto, esta versão foi posta em dúvida tanto pelos familiares como por especialistas da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), que, depois de fazer uma investigação, apontou as incoerências do relato do governo e ressaltou a necessidade de desenvolver outras linhas de investigação.

Até o momento, 129 pessoas foram acusadas dentro da investigação do caso Iguala, e o Executivo expressou sua intenção de chegar a conclusões finais ainda neste ano.