PUBLICIDADE
Topo

Cerca de 100 jihadistas fogem com reféns para fronteira com Jordânia

31/07/2018 09h31

Beirute, 31 jul (EFE).- Pelo menos cem membros do grupo jihadista Exército Khaled bin Walid, vinculado ao Estado Islâmico (EI), fugiram das forças leais a Damasco em direção à fronteira jordaniana levando civis como "escudos humanos", informou nesta terça-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Os jihadistas se dirigiram para os arredores de Kuya e Beit Ara, duas localidades situadas no sudoeste do país perto da fronteira jordaniana, embora seja desconhecido o paradeiro do grupo atualmente, disse à Agência Efe o diretor da ONG, Rami Abdul Rahman.

Segundo a ONG, as tropas de Damasco já controlam totalmente todas as populações da região, incluindo Kuya e Beit Ara.

O Governo ainda não informou sobre a situação nessa zona.

Por outro lado, o Observatório informou que 34 pessoas morreram nas últimas horas, entre elas jihadistas e seus familiares, por disparos das forças governamentais sírias quando o grupo tentava fugir da zona conhecida como bacia do rio Yarmouk através de uma passagem controlado pelo Exército sírio.

A ONG também indicou que 60 jihadistas se renderam ontem às forças leais ao presidente sírio, Bashar Al-Assad.

Desde que começou a ofensiva governamental contra o grupo Exército Khaled bin Walid, vinculado ao Estado Islâmico (EI), em 19 de julho, as forças de Damasco tomaram o controle total do território que tinha estado em mãos dos radicais, segundo a ONG.