PUBLICIDADE
Topo

Suspeito de envio de pacotes-bomba nos EUA pode pegar até 48 anos de prisão

26/10/2018 18h43

Washington, 26 out (EFE).- César Sayoc, o homem detido sob a suspeita de ter enviado pelo menos 13 pacotes-bomba a políticos e simpatizantes do Partido Democrata nos Estados Unidos, pode ser condenado a até 48 anos de prisão por cinco acusações.

"Estas acusações podem mudar ou serem aumentadas à medida em que prossiga a investigação", afirmou nesta sexta-feira em entrevista entrevista o procurador-geral do país, Jeff Sessions, que também disse que a pena total chegaria a 58 anos de prisão, mas pouco depois o Departamento de Justiça retificou o número para 48.

O diretor do FBI, Christopher Wray, confirmou que o suspeito dos envios é Sayoc, como vários jornais e redes de televisão americanos tinham revelado, e que as autoridades encontraram 13 dispositivos explosivos nos pacotes endereçados a personalidades em várias partes dos EUA.

"Podem existir outros pacotes em trânsito atualmente. Temos que continuar atentos", alertou Wray.

O representante do FBI descartou que os dispositivos sejam falsos, como indicava uma teoria da conspiração divulgada pelas redes sociais.

"Ainda estamos tentando determinar se teriam funcionado ou não, mas continham material energético que poderia ser perigoso para o público", acrescentou.

Sessions reconheceu que o suspeito pareceu ter agido guiado pela ideologia partidária e ressaltou que a violência política é algo "absolutamente inaceitável". De acordo com Wray, "ainda é cedo demais para falar sobre os motivos" que levaram Sayoc a enviar os pacotes-bomba.

Sayoc, de 56 anos e residente da cidade de Aventura, na Flórida, já foi acusado formalmente em um tribunal federal de Nova York, segundo o documento de acusação.

As cinco acusações de Sayoc são transporte ilegal de explosivos entre estados, envio ilegal de explosivos, ameaças contra ex-presidentes e outras pessoas, ameaças ao Estado e ataque a agentes federais das forças da ordem.

"(Sayoc) tentou transportar um explosivo com o conhecimento e a intenção de que seria usado para matar, ferir e intimidar indivíduos", diz o documento.

As autoridades encontraram Sayoc após identificarem uma de suas impressões digitais no pacote que enviou à congressista democrata Maxine Waters, que o FBI começou a analisar ontem, segundo detalhou o diretor da corporação.