PUBLICIDADE
Topo

EUA confirmam devolução de imigrantes irregulares na fronteira sul ao México

20/12/2018 16h00

Washington, 20 dez (EFE).- O Governo dos Estados Unidos confirmou nesta quinta-feira que devolverá ao México os imigrantes que chegarem ao país irregularmente ou sem os documentos necessários pela fronteira sul, incluídos os solicitantes de asilo.

"Confrontaremos esta crise de frente, defendendo a lei e fortalecendo nossos compromissos humanitários", afirmou a secretária de Segurança Nacional (DHS) dos Estados Unidos, Kirstjen Nielsen, em comunicado pouco antes de comparecer diante do Comitê Judiciário da Câmara Baixa.

O anúncio acontece depois que em 9 de novembro o Governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelou restrições aos pedidos de asilo na fronteira com o México para os que entrassem de forma irregular no país, uma decisão que foi bloqueada por um juiz federal.

Nielsen explicou que o México foi informado sobre esta medida e que se comprometeu "a dar resposta a quem for reenviado ao país".

"Notificamos o Governo mexicano sobre nossas intenções. Em resposta, o México tomou uma decisão independente de se comprometer a implementar medidas essenciais no seu lado da fronteira para facilitar este processo", comentou a titular de imigração.

"Esperamos - prosseguiu - que os imigrantes afetados recebam vistos humanitários para permanecer em solo mexicano, solicitem emprego e outras proteções enquanto esperam uma decisão legal dos EUA".

Nesta linha, o DHS precisou que se estes imigrantes conseguirem asilo nos EUA, "serão aceitos", e aqueles que não, "serão deportados aos seus países de origem".

A medida, que o Governo ampara na seção 235 (b) (2) (c) de sua Lei de Imigração e Nacionalidade, é a última anunciada pela Administração em seu objetivo de reduzir a imigração irregular no país.

Segundo a Chancelaria mexicana, o Executivo autorizará, por razões humanitárias e de maneira temporária, o ingresso de certas pessoas estrangeiras provenientes dos Estados Unidos que tenham ingressado a esse país por um ponto de entrada ou que tenham sido apreendidas entre pontos de entrada. EFE