PUBLICIDADE
Topo

Quadros atribuídos a Hitler são confiscados por suspeita de falsificação

25/01/2019 09h19

Berlim, 25 jan (EFE).- A polícia alemã confiscou três quadros atribuídos a Adolf Hitler que seriam leiloados diante da suspeita de se tratarem de falsificações, informaram nesta sexta-feira os veículos de imprensa locais.

"Na quarta-feira recebemos uma denúncia através do nosso portal na internet de que supostamente esses quadros são falsificados", disse ao jornal "Bild" a porta-voz da polícia Patricia Bremer, que ressaltou que "existem dúvidas razoáveis sobre a autenticidade das pinturas".

A casa de leilões Kloss, radicada no bairro de Pankow, se limitou a informar ontem às 16h30 (12h30, em Brasília), pouco depois de os quadros terem sido colocados a leilão, que "foram suspensos os lotes de número 286, 287 e 288", sem oferecer mais detalhes aos interessados.

No portal da casa de leilões, que oferece a possibilidade de arrematar as peças pela internet em tempo real, seguem figurando no catálogos as três obras atribuídas a Hitler, cujo valor é estimado entre 4 mil e 6 mil euros cada uma.

Trata-se dos quadros "Rheinlandschaft", "Alpenlandschaft" e "Niederthal, Vent", que representam paisagens do Reno, dos Alpes e de Vent, e supostamente pintados por Hitler entre 1910 e 1911 em Viena, e possuem a assinatura "A.Hitler", que um grafólogo tinha certificado como autêntica.

Não é a primeira vez que as aquarelas de Hitler são leiloadas na Alemanha: em 2016, uma casa de leilões conseguiu vender 16 de 29 aquarelas atribuídas ao ditador nazista pelas quais obteve cerca de 40 mil euros.

Hitler, que queria ser pintor, mas fracassou na tentativa de ingressar em 1907 e 1908 na Academia de Artes de Viena, pintou várias paisagens e postais.

A venda de suas obras só é proibida em peças que possuem símbolos nazistas. EFE